23 de julho de 2024

Débora Menezes destaca aprovação de projeto que equipara aborto a homicídio

Deputada estadual é autora da Lei que Institui o Dia Estadual de Luta pela Vida e Combate ao Aborto

Autora da Lei que Institui o Dia Estadual de Luta pela Vida e Combate ao Aborto, a deputada estadual Débora Menezes (PL) destacou a aprovação em regime de urgência na Câmara dos Deputados, nessa quarta-feira (12), do Projeto de Lei 1904/24, que equipara o aborto de gestação acima de 22 semanas ao homicídio. O PL ainda será submetido à votação diretamente no plenário sem antes passar pelas comissões da Câmara.

“A vida vence. Este projeto visa aumentar a proteção a vida ao nascituro em gestações avançadas. O mesmo texto também acaba com a previsão legal de aborto decorrente de estupro a partir de 5 meses”, explicou.

A deputada esclareceu que o texto continua permitindo o aborto nos casos de estupro, de risco de vida à mulher e de anencefalia fetal (quando não há formação do cérebro do feto). No entanto, ela ressaltou que atualmente não há no Código Penal um tempo máximo de gestação para o aborto legal.

O aborto não previsto em lei é punido com penas que variam de um a três anos, quando provocado pela gestante ou com seu consentimento, e de três a dez anos, quando quem provocar um aborto sem o consentimento da gestante.

Caso o projeto seja aprovado, a pena máxima para esses casos passa a ser de 20 anos nos casos de abortos cometido acima das 22 semanas, igual a do homicídio simples previsto no artigo 121 do Código Penal.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Descubra mais sobre AM 24h

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading