Estuprada por dois anos, jovem tenta tirar a própria vida em Manaus

Um homem, de 40 anos, foi preso temporariamente nesta sexta-feira (5), suspeito de estuprar a enteada de 15 anos, no bairro São José Operário, zona leste de Manaus. O fato foi descoberto depois da adolescente tentar se jogar de viaduto. O suspeito cometia o crime há pelo menos dois anos.

A adolescente estava prestes a se jogar de uma passarela na Avenida Grande Circular, no mesmo bairro onde mora, quando a polícia militar foi acionada para atender a ocorrência. Ao conseguir retirar a jovem da passarela, ela relatou aos policiais da 9ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) que na noite anterior havia sido estuprada pelo padastro, e que desde os 13 anos ele fazia isso, por esse motivo estava desesperada. Diante do relato, todos os envolvidos foram levados para a delegacia pelos policiais.

Durante coletiva de imprensa, a delegada Joyce Coelho disse que a polícia estava acompanhando o caso desde da última quinta-feira (28), quando a adolescente estava prestes a se jogar da passarela.

“A adolescente relatou que desde os 13 anos de idade, praticamente no início do relacionamento da mãe com esse homem, ele começou a tocá-la libidinosamente, e assediá-la dentro de casa. Ela contou para a mãe e a mesma não tomou qualquer providência, alegando que aquilo era um carinho, que era pra ela aguentar”

Na noite da última quarta-feira (27), a adolescente ficou sozinha com ele. A mãe saiu para o trabalho e ele conseguiu estuprá-la. Ela relatou para a mãe o que tinha acontecido quando a mesma chegou em casa. A mãe pediu que a jovem ficasse em silêncio e não contasse.

A delegada solicitou a instauração de inquérito policial, e que a adolescente fosse levada para um abrigo. Já o padastro foi indiciado por estupro de vulnerável.

“Ele ofereceu para a adolescente uma bebida, ela se sentiu tonta e percebeu o momento da violência, mas não teve como se defender. Solicitamos um exame toxicológico, mas ele ainda não está pronto. Considerando que a genitora tinha conhecimento e não tomou nenhuma providência a mãe vai ser ouvida pela segunda vez e indiciada como co-autora do estupro”, conclui a delegada.

A menina está em um local de acolhimento esperando um parente de fora que se ofereceu para cuidar dela.

Fonte: D24am

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.