27 de maio de 2024

Todos Os Anos, 40% Dos Idosos Com 80 Anos Ou Mais Sofrem Quedas

Foto: Reprodução

Ás quedas são comuns durante a velhice e podem acarretar graves consequências para a saúde da pessoa idosa, além de ser um possível indicativo de fragilidades físicas e até doença aguda. No Brasil, a prevalência de quedas apontada pelo Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil), realizado em uma amostra representativa da população idosa residente em áreas urbanas, foi de 25%. O estudo demonstrou ainda que os fatores associados às quedas são multidimensionais, destacando sexo feminino, faixa etária igual ou superior a 75 anos, medo de cair devido a defeitos nos passeios, medo de atravessar a rua, artrite ou reumatismo, diabetes e depressão.

Segundo dados do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, a estimativa entre os idosos com 80 anos ou mais, é que 40% sofram quedas todos os anos. Dos que moram em instituições de longa permanência, asilos ou casas de repouso, a frequência de quedas é ainda maior: destes, 50% podem cair.

Apesar da frequência, as quedas podem ser evitadas. Algumas atividades e comportamentos de risco podem aumentar a possibilidade de cair, assim como ambientes inseguros. Confira algumas dicas que podem evitar este problema:

No quarto

  • Coloque lâmpada/lanterna e telefone perto da cama;
  • Os armários devem ter portas leves e maçanetas grandes para facilitar a abertura, assim como iluminação interna para ajudar na visualização dos pertences;
  • Dentro do armário, arrume as roupas em lugares de fácil acesso, evitando os locais mais altos;
  • Substitua lençóis e acolchoado por produtos feitos por materiais não escorregadios, como por exemplo, algodão e lã;
  • Não deixe o chão do quarto bagunçado.

Na sala e corredor

  • Organize os móveis de maneira que tenha um caminho livre para passar;
  • Instale interruptores de luz na entrada das dependências para que não seja necessário andar no escuro;
  • Mantenha fios de telefone, elétricos e de ampliação fora das áreas de trânsito; nunca debaixo de tapetes;
  • Nas áreas livres, coloque tapetes com as duas faces adesivas ou com a parte debaixo não deslizante;
  • Não sente em cadeira ou sofás baixos, porque o grau de dificuldade exigido para se levantar é maior. Além disso, estes devem ser confortáveis e com braços;
  • Remova peitoril de porta maior que 1,3 m.

Na cozinha

  • Remova os tapetes que promovem escorregões;
  • Limpe imediatamente qualquer líquido, gordura ou comida que tenham sido derrubados no chão;
  • Armazene a comida, a louça e demais acessórios culinários em locais de fácil alcance;
  • As estantes devem estar bem presas à parede e ao chão para permitir o apoio quando necessário;
  • Não suba em cadeiras ou caixas para alcançar os armários que estão no alto;
  • A bancada da pia deve ter de 80 a 90 cm do chão para permitir uma posição mais confortável ao se trabalhar.

Na escada

  • Interruptores de luz devem estar instalados tanto na parte inferior quanto na parte superior da escada. Outra opção é instalar detectores de movimento que podem fornecer iluminação automaticamente;
  • A escada deve estar iluminada do princípio até o fim;
  • Mantenha uma lanterna guardada em algum lugar próximo, em caso de apagão;
  • Remova os tapetes que estejam no início ou fim da escada;
  • No caso de carpete fixo, selecione aquele que tenha cor sólida (sem desenhos ou muitas formas) para que seja possível visualizar claramente as bordas dos degraus;
  • Coloque tiras adesivas antiderrapantes em cada borda dos degraus;
  • Instale corrimões por toda a extensão da escada, em ambos os lados. Eles devem estar em uma altura de 76 cm acima dos degraus.

No banheiro

  • Coloque um tapete antiderrapante ao lado da banheira ou do box para sua segurança na entrada e saída;
  • Use tiras antiderrapantes dentro da banheira ou no chão do box;
  • Instale barras de apoio nas paredes do banheiro;
  • Duchas móveis são mais adequadas;
  • Mantenha algum tipo de iluminação durante a noite;
  • Substitua as paredes de vidro do box por um material não deslizante;
  • Ao tomar banho, utilize uma cadeira de plástico firme com cerca de 40 cm, caso não consiga se abaixar até o chão ou se sinta instável.

Além dos cuidados com o ambiente, também é preciso estar atento às condições de saúde da pessoa idosa, vestimentas e demais fatores.

  • Faça exames oftalmológicos e físicos anualmente, em específico para detectar a existência de problemas cardíacos e de pressão arterial;
  • Mantenha na dieta uma ingestão adequada de cálcio e vitamina D;
  • Tome banhos de sol diariamente;
  • Participe de programas de atividade física que visem o desenvolvimento de agilidade, força, equilíbrio, coordenação e ganho de força do quadríceps e mobilidade do tornozelo;
  • Use sapatos com sola antiderrapante;
  • Amarre o cadarço do calçado de forma firme e segura;
  • Substitua os chinelos que estão deformados ou muito frouxos;
  • Use uma calçadeira ou sente-se para colocar o sapato;
  • Evite sapatos com salto ou com sola lisa;
  • Evite ingestão excessiva de bebidas alcoólicas;
  • Mantenha uma lista atualizada de todos os medicamentos que está tomando ou que costuma tomar, e dê para os médicos com quem faz consulta;
  • Informe-se com seu médico sobre os efeitos colaterais dos remédios que está tomando;
  • Certifique-se de que todos os medicamentos estejam claramente rotulados e guardados em um único local;
  • Tome os medicamentos nos horários corretos e da forma orientada pelo médico.

Série: longevidade

Durante a primeira semana do mês de outubro, em razão do Dia Internacional das Pessoas Idosas e do Dia Nacional do Idoso, o Ministério da Saúde divulga uma série de conteúdos sobre longevidade e o envelhecimento saudável. Acompanhe!

*Com informações Ministério da Saúde

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Descubra mais sobre AM 24h

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading